sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Improversado

O grande dia...
Que é também noite, madrugada que não se cala nas horas e o ponteiro que corre lentamente pelas vias que transportam o frio que ferve, acelera. 
A multidão de poucos se prepara,  mesmo sem muito pensar no tudo que será. 
Eles apenas estão lá. Alguns serão transportados, abduzidos, outros simplesmente nem saberão que estão, o que são, sóbrios não sobreviverão. 
A essência está nos raros que sentem, tocam o desafinado tom do planeta que parece se tornar belo e livre, pelos instantes do som que sai.

A arte de viver é uma filosofia de poucos, os raros que dela vivem...