quinta-feira, 29 de agosto de 2013

O tempo de cada um*

Não podemos exigir a evolução de ninguém de acordo com nosso próprio tempo de compreensão. Cada um possui seu tempo, vinculado diretamente a transcendência de seu espírito. Aceitar não significa que a pessoa está evoluída ou que imediatamente passará a ser mais compreensiva, tolerante e humilde. Significa apenas que “está a caminho”!
Por vezes insistimos em nos decepcionar com as pessoas  que ainda engatinham na compreensão das mensagens deixadas. Muitos vivem seus dramas pessoais intensamente e sofrem por não conseguir separar suas personalidades da Individualidade. Estão a caminho... é o quê importa! E, estar a caminho não determina um tempo “x” para que despertem a Individualidade, apenas estão a caminho! Alguns despertam para a essência do bem dos ensinamentos em poucos dias, outros levam meses e existem os que levam anos, décadas, se debatendo com os próprios karmas, onde deveriam assumir, na verdade, o compromisso de cuidar.


Obviamente ao tratarmos das dores passamos a ter maior compreensão, mais tolerância, pois deveríamos passar a analisar cada lance da vida com novos olhos. Deveríamos sempre olhar o quê os outros não atinam imediatamente. Podemos analisar com o conhecimento dos dois planos!

Ao nos tornarmos mais afáveis, tolerantes, compreensivos, passamos também a atrair pessoas melhores para nossas vidas, oportunidades melhores, que antes não eram visualizadas por conta de nosso negativismo. Já repararam que quando você está reclamando de algo, logo aparece outra pessoa reclamando mais? Até quando fica falando que está com dor de cabeça, logo aparece outro dizendo que a dele dói mais? Reclamamos de problemas financeiros e nos juntamos com outros ainda mais “quebrados” que nós. Porém, ao olharmos a vida sob a outra ótica, elevamos nosso padrão vibratório, ficamos “mais positivos”, e passamos a atrair naturalmente o bom e produtivo para nossas vidas.
A mudança vem de dentro para fora. Pela consciência e compreensão é que podemos mudar nossas vidas e sermos felizes. Entenda que também cada um tem seu tempo e, se você conseguir despertar com este pequeno texto, não queira exigir que o outro também desperte.

(tx. adap. Kazagrande*)