sábado, 17 de agosto de 2013

"Um dia alguém me disse que a comunicação é algo mediúnico, 
se analisarmos bem, esse alguém tinha razão.
As vezes eu me pergunto: será que nos aproximaríamos se estivéssemos em um barzinho ou numa festa? Em qualquer lugar que fosse, ou mesmo nas ruas?
Foram tantas palavras trocadas pela tela... 
Nossas 'máquinas' se conheceram muito bem!
Penso nas alegrias que já compartilhamos, de tantos assuntos que falamos.
Lembro nas inúmeras ocasiões em que leu minhas queixas, me falou de suas alegrias e conquistas, riu do que me parecia tão trágico, me fez olhar as situações sob um prisma diferente...
Poxa! Quantas vezes me fez enxergar frestas de becos que me pareciam sem saída.
Também penso nas minhas ansiedades que sentia em certos momentos, nas vezes em que dissemos "conte comigo, sempre estarei aqui..."
Havia dias em que você noticiava: hoje o dia está melhor, pois você me inspira...
Será que ainda sim nos conheceríamos nas ruas, num evento qualquer?
Nos reconhecemos quando estivemos frente a frente, olhos nos olhos, percebendo uma doce calma que se instalava naquele instante.
Nos reconhecemos sim, porque os olhos são janelas para a alma!"

(tx. adap.)