sábado, 17 de dezembro de 2011

Quando a estética da expressão se delimita à lamentação é chegada a hora de redesenhar os traços e os laços...

Não compreendo a simplicidade para me livrar. Dor.
Então permanecerá...
Haverá de existir. Serei capaz de enfraquecê-la.
E novamente acreditar. Amor.